Os cabelos de Neymar e o equívoco entre caráter e desempenho que atrasa nosso futebol

Os cabelos de Neymar e o equívoco entre caráter e desempenho que atrasa nosso futebol

- em Brasil, Esporte, Geral
Comentários desativados em Os cabelos de Neymar e o equívoco entre caráter e desempenho que atrasa nosso futebol

Ao transferir para Neymar a responsabilidade pelas glórias e fracassos da seleção, ignora-se o principal aspecto do futebol: sua humanidade

Os cabelos de Neymar e o equívoco entre caráter e desempenho que atrasa nosso futebol

Com qual cor de cabelo Neymar irá jogar contra a Costa Rica? Pode parecer absurdo, mas a dúvida parece mais presente nas conversas de bar e discussões de futebol que futebol, em si. O desempenho da seleção brasileira não deixou ninguém satisfeito. Um empate com a Suíça pode parecer uma vergonha, se comparada a tradição entre as duas seleções. A culpa pelo fiasco? O cabelo dele, Neymar.

Todo jogo da seleção brasileira é um prato cheio para entender que o comportamentos do torcedor tem como linha conjunta o caráter como explicador do desempenho. Quer ver? Se vence, teve atitude e caráter. Se perde, falta comprometimento e sobra apatia.

Neymar em Brasil x Suíça (Foto: Getty Images)

Neymar em Brasil x Suíça (Foto: Getty Images)

O brasileiro vê na atitude e nas qualidades pessoais todas as explicações para as ações dentro do jogo. Fazemos uma confusão clássica: caráter e desempenho. Eles não são sinônimos. Caráter é a firmeza e coerência de atitudes, a linha condutora na mente de alguém. Desempenho é o comportamento de um indivíduo diante de uma meta ou modelo. O futebol funciona sobre o prisma do desempenho. Ao entrar em campo, espera-se do jogador o cumprimento de algumas ações diante de um molde – a equipe. Se seu papel é chutar, driblar e cruzar, e ele faz isso bem, desempenhou bem.

De onde vem essa ideia de que o caráter se mistura com o desempenho? A resposta está na nossa própria história como país. Em “Casa Grande & Senzala”, o historiador Gilberto Freyre traçou um tratado sobre a sociedade brasileira. A origem da confusão se dá a um imaginário criado na casa grande. O Brasil colonial tinha grandes dimensões, o que impossibilitava a criação de um governo sólido e forte. A casa grande era o mais próximo de uma instituição. Seu comandante máximo, o senhor de engenho. Um pai. Ao redor dela, orbitavam uma série de pessoas. Elas dependiam da obediência ao senhor de engenho para sobreviverem.

Durante 300 anos, a esfera pública e privada foram as mesmas. O senhor de engenho era pessoa e instituição ao mesmo tempo. Ao fim da escravidão, a ideia pegou. Já ouviu falar de coronelismo? Tá aí uma prova. Ou de populismo, configurado na imagem de governantes carismáticos e bonitos com promessas de super-homem? Outra prova. O brasileiro confunde pessoa com instituição ao mesmo tempo. Acredita no que Freyre chama de “Messias”, o salvador da pátria, a pessoa que irá resolver todos os problemas com seus poderes de senhor de engenho. Também nos comportamos assim ao cobrar da presidente o que é do senado, dos deputados ou do voto, por exemplo.

Pelé Copa do Mundo 1958 Gol Brasil (Foto: Divulgação/Fifa)

Pelé Copa do Mundo 1958 Gol Brasil (Foto: Divulgação/Fifa)

Mesclar privado e público também provocou um outro traço de comportamento. No livro “Raízes do Brasil”, o historiador Sérgio Buarque de Holanda bolou o conceito de “homem cordial”. Por não ter uma diferença entre o que é seu e o que é do outro, o brasileiro é regido regido por aparência, pois não suporta a individualidade. Só encontra sentido em si quando se expande para a vida social. E julga os outros. E como julga! Somos penta em oferecer um cafezinho e falar mal pelas costas. Em fazer grupos de whatsapp para falar mal dos outros. Tem coisa mais brasileira que a fofoca?

É por amar tanto o que é do outro que o Brasil é o segundo país com mais usuários no Facebook. Tem coisa mais tentadora que rolar o dedo e saber da vida do outro? Julgar o cabelo do Neymar segue a mesma lógica. É um impulso, quase uma necessidade de invadir sua vida e encontrar lá algum sentido. Ou melhor, a explicação pro jogo ruim. Confundimos o público do Neymar (seu desempenho) com o privado (seu caráter). Depositamos nele as esperanças do hexa como se ele próprio fosse toda a seleção.

Freyre e Holanda se conectam no futebol. O Brasil importou a fusão entre público e privado para o jogo. O senhor de engenho virou o craque do time. Aquele que tudo resolve, como as pernas de garrincha. O restante orbita e se sacrifica para o bem do craque. Uma troca: o senhor do engenho, ou melhor, o talento dá os gols, a sociedade marca pelo mais talentoso. Quem nunca ouviu que é um absurdo que os melhores se ferrem na marcação? A ideia de que trabalho é sacrifício reflete uma sociedade individualista, que só pensa em si própria ou em seu núcleo (a casa grande) e esquece instituições como governo, constituição ou leis. Sabe aquele papelzinho jogado no lixo porque “você está com pressa”? Pois bem, é isso.

Com Garrincha e Pelé juntos, Seleção nunca foi derrotada (Foto: Reprodução TV Globo)

Com Garrincha e Pelé juntos, Seleção nunca foi derrotada (Foto: Reprodução TV Globo)

Acontece que o craque não joga sozinho, e entender o jogo envolve entender o desempenho. Como o jogador atua, dentro de um molde, sob determinadas condições. É esquecer o que a pessoa é, e sim o que a pessoa faz. O “ perdeu porque não teve atitude” é uma patota. No português simples, não faz o menor sentido. Distinguir o que é jogador e o que é pessoa envolve empatia. A capacidade de se colocar na mente do outro. Como o escritor americano David Foster Wallace diria, é a “liberdade de ver os outros”.

Tudo o que você viveu e de que se lembra tem apenas um protagonista: você mesmo. A empatia é dura porque exige deixar nossas crenças e verdades de lado. É abandonar o ego e ver o outro de forma pura. É entender o humano atrás do jogador, a criança atrás do adulto. Empatia nos faz distinguir o Neymar público do privado. O privado, só a ele interessa. O que ele faz fora do campo é problema do indivíduo – dele, e só dele. Assim como seu cabelo.

Mas dentro de campo, os apontamentos sobre um ou outro jogador são do desempenho. Tema para outro texto. Abrir a cabeça e largar certas verdades, tão repetidas, é ver o que o futebol tem de mais precioso: sua humanidade. Feito por pessoas, para pessoas.

Acompanhe a cobertura completa da Copa do Mundo no Twitter @leoffmiranda e no Facebook do Painel Tático

Footer Leonardo Miranda (Foto: Leonardo Miranda)

Footer Leonardo Miranda (Foto: Leonardo Miranda)

Comentários Facebook

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja também

Mulher é indiciada por divulgar nudes de nova namorada do ex: ‘Tô de boa com meu chifre, mas você vai aprender’

Rapaz que teve relacionamento com a menor e